Imprensa

25-Ago-2020 13:07
Absurdo

Bancada Petista de Sorocaba manifesta repúdio a projeto de Doria que extingue órgãos e fundações paulistas

Para parlamentares, o projeto de lei sinaliza claro ato de desrespeito e desprezo pela vida e dignidade humana.

A bancada do Partido dos Trabalhadores da Câmara Municipal de Sorocaba, formada pelos vereadores Francisco França (líder) e Iara Bernardi (vice-líder), protocolou moção de repúdio ao Projeto de Lei nº 529/2020, do Governador João Doria, que pretende extinguir nove órgãos públicos e fundações do Estado de São Paulo, além de ampliar o percentual de contribuição dos servidores públicos estaduais que possuem dependentes e agregados vinculados ao IAMSPE (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual).

Segundo o texto do Governador, enviado à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, ficam extintos: Fundação Parque Zoológico de São Paulo; Fundação para o Remédio Popular “Chopin Tavares de Lima” – FURP, Fundação Oncocentro de São Paulo, Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano de São Paulo - CDHU, Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo – EMTU/SP, Superintendência de Controle de Endemias – SUCEN, Instituto de Medicina Social e de Criminologia – IMESC, Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo – DAESP; Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo "José Gomes da Silva" – ITESP.

Segundo os parlamentares petistas, “o PL também prevê o aumento dos percentuais de contribuição para os servidores que possuem dependentes e agregados vinculados ao IAMSPE, e mantém a política de sucessivos governos de não cumprir a lei, no que se refere ao aporte de recursos orçamentários equivalentes ao total de 2% da folha de pagamento para o Instituto”, escrevem na moção.

Os vereadores escrevem ainda que “o país se encontra imerso em contexto de grave sobreposição de crises econômica, política e institucional, potencializadas pela pandemia de COVID-19 e suas terríveis consequências à saúde pública, em especial às populações empobrecidas e em situação de vulnerabilidade social, e que tal projeto de lei sinaliza claro ato de desrespeito e desprezo pela vida e dignidade humana”.

Assessoria de Imprensa
Deixe seu Recado