Imprensa

04-Fev-2021 14:12
Educação

Emenda a projeto determina volta às aulas somente após vacinação contra COVID-19

A Câmara Municipal de Sorocaba debateu nesta quinta-feira (04) o projeto de lei da vereadora Iara Bernardi (PT) que fixa medidas para o funcionamento das unidades escolares públicas e privadas no âmbito do município, durante o período de pandemia do COVID-19.

Segundo o PL, a retomada das aulas presenciais no ano 2021 deverá preceder de autorização prévia específica geral e individual dos órgãos municipais e fiscalização periódica. Além disso, a autora apresentou emenda determinando que a volta às aulas só ocorra após a vacinação das professoras, professores e demais trabalhadores escolares. Com isso, o projeto saiu de pauta e deverá voltar em breve para ser debatido.

A autorização prévia específica geral para o funcionamento das unidades caberá ao Conselho Municipal de Educação, sem prejuízo das demais exigências, e deverá ser solicitada individualmente por cada unidade educacional, apresentando: ata do Conselho Escolar aprovando a retomada das aulas presenciais; plano detalhado de enfrentamento ao COVID-19 específico por unidade escolar; e comprovação efetiva da aplicação das medidas.

Veja abaixo o debate do PL:

A fiscalização acerca do cumprimento das disposições constantes na propositura será realizada conjuntamente pela Secretaria da Educação e Secretaria de Saúde de Sorocaba, podendo requisitar designação de demais agentes pelo Poder Executivo Municipal.

Segundo Iara, "a proposta prevê a autorização ao retorno das aulas presenciais demandando análise e aprovação geral do Conselho Municipal de Educação e aprovação específica solicitada pelo Conselho Escolar de cada escola às Secretarias de Saúde e Educação, que deverão realizar fiscalizações periódicas", explica a parlamentar petista.

Ainda segundo ela, "notoriamente os professores, em razão da alta demanda de trabalho e ao excessivo estresse, possuem tendências a doenças crônico-degenerativas, como pressão alta, diabetes, obesidades, o que, somada à elevada média de idade, aumentam significativamente o risco de manifestações clínicas de maior intensidade do COVID-19", conclui ela.

Assessoria de Imprensa - André Canevalle Rezende
Deixe seu Recado