Imprensa

01-Jan-1900 00:00 - Atualizado em 03/03/2017 15:30

Simpósio em Sorocaba discute obesidade

Com apoio dos deputados Iara Bernardi e Hamilton Pereira, ambos do PT/SP, a Associação Evangélica Beneficente de Sorocaba (AEBS) promoveu último sábado (19),  o "I Simpósio sobre Obesidade - Realidades e Perspectivas para o Tratamento" com palestra proferida pelo professor  Dr. Eliton Adami Chaim, chefe do setor de gastrocirurgia e coordenador do programa de cirurgia bariátrica do Hospital das Clinicas da Unicamp (Universidade de Campinas), considerada uma das maiores autoridades em cirurgia bariátrica do país.

O encontro, realizado no auditório da Unip, reuniu não só profissionais da saúde, mas interessados em geral e apresentou informações sobre a obesidade no Brasil e as perspectivas de tratamento, dentre elas a própria cirurgia para a redução do estômago.

De acordo com o Dr. Chain, estima-se que 4% da população brasileira esteja com obesidade mórbida, ou seja, pessoas que estão bem acima do peso cujo Índice de Massa Corpórea (IMC) está acima de 35%.  O índice aceito pela Organização Mundial da Saúde é de 25%.

Além de dados sobre a obesidade no Brasil, o médico também falou sobre a necessidade de haver políticas públicas que estejam voltadas para a educação alimentar da população, explicando que a cirurgia de redução de estômago tem de ser a última opção para os pacientes obesos.

 

 

Obesidade no Brasil

 

Dados inéditos do Ministério da Saúde revelaram recentemente que, pela primeira vez, o percentual de pessoas com excesso de peso superou mais da metade da população brasileira. A pesquisa Vigitel 2012 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), divulgada no final do mês de agosto, mostrou que 51% da população (acima de 18 anos) está acima do peso ideal. Em 2006, o índice era de 43%.   Entre os homens, o excesso de peso atinge 54% e entre as mulheres, 48%.

O estudo inédito também revela que a obesidade cresceu no país, atingindo o percentual de 17% da população. Em 2006, quando os dados começaram a ser coletados pelo Ministério, o índice era de 11%.   O aumento atinge tanto a população masculina quanto a feminina. Na primeira edição da pesquisa, 11% dos homens e 11% das mulheres estavam obesos. Atualmente, 18% das mulheres estão obesas. Entre os homens, a obesidade é de 16%. 

 A pessoa é considerada com sobrepeso  quando está com o IMC - Índice de Massa Corporal igual ou superior a 25. O IMC é uma forma para conhecer o estado nutricional do indivíduo.  Para calculá-lo, basta dividir o peso em quilogramas pelo quadrado altura em metros (IMC = peso / altura x altura). O IMC é apenas um indicativo para descobrir se está no peso ideal. Outros fatores como sexo, idade, condicionamento físico devem ser levados em conta. 

Abaixo, uma tabela de IMC.

 IMC

 Classificação

 Abaixo de 18,5

 Baixo peso

 Entre 18,6 e 24,9

 Peso ideal (parabéns)

 Entre 25,0 e 29,9

 Sobrepeso

 Entre 30,0 e 34,9

 Primeiro grau de obesidade

 Entre 35,0 e 39,9

 Segundo grau de obesidade

 Acima de 40

Obesidade grave

Assessoria de imprensa
Deixe seu Recado